Dicas de Saúde

Gripe Suína: tire suas dúvidas sobre a vacina

 

Veja as principais perguntas e respostas sobre a imunização contra o vírus A (H1N1)

 

O Ministério da Saúde iniciou em 8 de março a campanha nacional de vacinação contra o vírus Influenza A (H1N1), causador da chamada gripe suína. Para que você possa tirar todas as suas dúvidas, coletamos preciosas informações no site oficial da Agencia Nacional de Vigilancia Sanitaria.

 
Quais são os grupos prioritários que precisam se vacinar contra a gripe suína?

Em primeiro lugar, é importante lembrar que a gripe suína é uma gripe que tem aspectos específicos, mas, como os outros vírus Influenza, pode afetar qualquer pessoa. Baseado na experiência mundial com a doença obtida em 2009, o Ministério da Saúde enumerou os grupos de maior risco que deverão ter prioridade na vacinação fornecida pelo setor público. São eles: indígenas, profissionais de saúde, gestantes, portadores de doenças crônicas, crianças entre seis meses e dois anos, população saudável entre 20 e 29 anos, pessoas com mais de 60 anos (campanha nacional de vacinação do idoso) e população saudável entre 30 e 39 anos

.

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Grupos prioritários

Período de vacinação

Gestantes

22/03 a 02/04

Doentes crônicos

22/03 a 02/04

Crianças entre 6 meses e 2 anos de idade

22/03 a 02/04

Adultos de 20 a 29 anos

05/04 a 23/04

 Adultos de 30 a 39 anos

10/05 a 21/05

 

Qualquer pessoa pode tomar a vacina contra a gripe suína ou há restrições?
Quem quiser se prevenir da gripe deve tomar a vacina. Crianças a partir dos seis meses podem iniciar o esquema de vacinação. Não há limite máximo de idade. As restrições são idênticas às restrições para outras vacinas contra gripe: alergia grave à vacina de gripe prévia e alergia grave ao ovo.

 

E as gestantes, também podem se vacinar?
Sim, as gestantes compõem um dos grupos de risco contemplado pelo Ministério da Saúde, pois apresentaram quadro mais grave que a população geral quando infectadas pelo vírus Influenza A. Portanto, se o médico obstetra estiver de acordo, a gestante deve receber a vacina da gripe.

 

A vacina contra a gripe suína pode causar efeitos colaterais? Se sim, quais são eles?
Sim, a vacina contra o vírus Influenza A (H1N1) pode produzir efeitos adversos assim como qualquer outra vacina. Em geral, os sintomas vão de dor leve no local de aplicação a rubor e inchaço locais. Mais raramente, sintomas sistêmicos podem sobrevir, tais como dores musculares e febre baixa.

 

A vacina contra o A H1N1 garante 100% de proteção contra a doença?
Dificilmente uma vacina vai conferir exatamente 100% de proteção, mas, no caso das vacinas contra gripe, o nível de eficácia chega bem próximo disso.
    
De quanto em quanto tempo é preciso se vacinar contra a gripe suína?
Crianças entre seis meses e nove anos devem receber duas doses da vacina, com intervalo de quatro semanas, caso nunca tenham recebido a vacina. Os adultos, por sua vez, devem fazer uma dose da vacina.

 

A vacina contra a gripe suína tem a capacidade de curar a doença ou só funciona como prevenção?
Nenhuma vacina contra a gripe tem capacidade terapêutica, elas apenas fornecem proteção.

 

Tomar a vacina contra a gripe suína elimina a necessidade de tomar a vacina contra a gripe comum?
 As vacinas não geram proteção cruzada, ou seja, quem tomar apenas a vacina contra gripe suína não estará imunizado contra a gripe comum, e vice-versa. A exceção ocorre apenas com a vacina trivalente, que combina vírus sazonais da gripe comum com os vírus Influenza A (H1N1). O Ministério da Saúde, no entanto, irá disponibilizar as duas vacinas de maneira separada, sendo que a vacina contra a gripe comum será oferecida apenas às pessoas com mais de 60 anos, durante a campanha nacional de vacinação do idoso, que ocorre todos os anos.

 

Por que o vírus da gripe suína afeta com mais frequência os mais jovens?
Não há uma única explicação para este fenômeno, mas o vírus parece produzir quadros mais graves numa população de faixa etária menor do que aquela que a gripe costuma afetar. Uma das explicações é imunidade prévia a tipos semelhantes de vírus no passado, o que pode conferir certa proteção a pessoas mais velhas. Outra explicação seria o fato de a resposta imunológica de adultos jovens ser mais eficaz do que nos idosos, produzindo uma resposta inflamatória mais intensa e, consequentemente, formas mais graves da doença.

 

Além da vacina, que outras medidas preventivas podem ser tomadas contra a gripe suína?
Higienização adequada das mãos, lavando-as frequentemente com água e sabão e utilizando álcool gel em situações de maior risco. O mais importante é que pessoas doentes sejam precocemente diagnosticadas e não tenham contato com pessoas saudáveis, evitando assim a disseminação do vírus.


Fonte: Jessé Reis Alves, assessor médico do serviço de Vacinação e da Consulta do Viajante do Fleury, e Ministério da Saúde

 




[ voltar ]